Sri Lanka: guia de viagem

Sri Lanka: guia de viagem

É um gosto escrever sobre a nossa viagem ao Sri Lanka. 

Somos apaixonados pela Ásia em geral, mas o Sri Lanka foi um dos nossos destinos preferidos. É um país pouco turístico, quando comparado com outros países asiáticos como a Tailândia, ou até como as ali tão próximas Maldivas. No entanto, tem tanto para oferecer, tanto para descobrir!

Acima de tudo, foi um dos países onde melhor nos acolheram. 

Visitámos o Sri Lanka quando ainda só tínhamos dois filhos, na altura um com 18 meses e outro com 4 anos. Nessa viagem este blog ainda não existia, por isso tinha escrito apenas um artigo sobre o Sri Lanka ( Sri Lanka: 10 motivos para ir). Pelas pessoas que me têm feito perguntas sobre este país, decidi escrever mais sobre a nossa experiência por lá. 

O objetivo é apenas um, partilhar a nossa experiência, ainda que não sendo a mais recente, no intuito de vos poder ser útil ao organizar a vossa viagem (que vai ser incrível!). 

Acreditamos que ler pela perspetiva de quem já lá esteve é sempre uma mais valia, principalmente quando se trata de viagens com crianças.

Localização

O Sri Lanka, ou antigo Ceilão, é uma ilha em forma de lágrima localizado na Ásia, a sul da Índia.

Fuso Horário

No Sri Lanka são sempre mais 5h30 do que em Portugal. Amanhece por volta das 6h e escurece cerca das 18h30, portanto programem o despertador para bem cedo.

Clima | Quando ir

O clima é tropical, com calor o ano todo, e níveis elevados de humidade. 

Qualquer altura parece boa para visitar a ilha, mas consideramos que os períodos das monções são sempre de evitar.

No Sri Lanka ocorrem duas monções anualmente. A monção sudoeste faz-se sentir nessa zona entre maio e setembro e, por sua vez, a monção nordeste afeta a costa leste de outubro a fevereiro. 

Assim sendo, março-abril são os meses ideias se pretendem percorrer várias zonas do país.

Visitámos a ilha em final de fevereiro e apanhámos apenas um dia de chuva.

Apesar do calor que se faz sentir, aconselhamo-vos a levarem um casaco se visitarem as zonas altas (como Nuwara Elyia). A temperatura baixa bastante, até aos 10-12º, sobretudo durante a noite.

Documentação necessária

Os cidadãos portugueses necessitam de passaporte com validade de pelo menos 6 meses e visto para entrar no país.

O visto para visitar o Sri Lanka com fins turísticos chama-se ETA (autorização eletrónica de viagem).

Formas de obter o ETA:

  • no aeroporto do Sri Lanka, à chegada – 35€ por pessoa;
  • previamente, online – 30€ por pessoa.

Preferimos tratar do nosso online, para evitar filas desnecessárias e por ficar mais barato.

O processo foi simples e rápido. Preenchemos um formulário no site eta.gov.lk ,fizemos o pagamento com cartão de crédito, e em 24h tínhamos a resposta/autorização de entrada no email. 

A saber sobre o ETA:

  1. é grátis até aos 12 anos, mas tem de ser solicitado para todos os passageiros;
  2. não pede dados relacionados com o voo, apenas dados do passageiro;
  3. permite-vos viajar durante somente 30 dias e expira 6 meses a partir da data em que foi solicitado.

Atualmente, devido ao Covid, é também obrigatório o preenchimento online de um inquérito de saúde para poderem entrar no país.

Electricidade

As tomadas são de 230 V, de 3 entradas achatadas, não se esqueçam de levar adaptadores.

Moeda

A moeda oficial é a Rupia Cingalesa, ou Rupia do Sri Lanka (LKR). 

Neste momento 1 EUR = 283, 748 LKR.

A maior parte dos pagamentos no Sri Lanka são efectuados em numerário, portanto é fundamental que tenham dinheiro convosco.

Podem levantar em ATM (com taxas), ou trocar em casas de câmbio. 

Quando fomos não conseguimos encontrar essa moeda em Portugal, motivo pelo qual trocámos apenas no aeroporto à chegada. Havia vários balcões para o efeito, sem filas.

Deslocações

A condução no Sri Lanka é de loucos, nunca vos recomendaria o aluguer de um carro. Nós até temos espírito de aventureiros, mas conduzir naquele país não é para todos…

Os transportes públicos são baratíssimos, e uma experiência fantástica, mas não são o ideal se estão limitados de tempo.

Para nos deslocarmos de forma mais rápida, contratámos um taxista para parte da viagem. Dado que íamos com os miúdos e com um roteiro ambicioso em termos de km, achámos que era a melhor opção. 

Apesar disso, houve tempo para andarmos a pé, de tuk tuk, de autocarro e de comboio (experiência imperdível!).

Antes de ir tínhamos pesquisado sobre esse serviço de taxi. Chegámos a pedir alguns orçamentos por email. No entanto, ou os preços nos pareciam demasiado elevados, ou líamos comentários que desencorajavam a contratação de taxista antes de ir. Parece que nos sujeitávamos a chegar lá e não estar ninguém à nossa espera. 

Não quisemos correr esse risco, por isso fomos sem nada reservado, com a ideia de arranjar taxista lá para uma semana, ou então ir apanhando um diferente cada vez que mudássemos de cidade.

Reservámos alojamento para a 1ª noite na cidade mais próxima do aeroporto: Negombo. Fomos do aeroporto até esse alojamento (Serendib Village Guesthouse) de tuk tuk, onde no dia seguinte apanhámos um taxi para iniciarmos o circuito até Kandy. 

Pelo caminho o taxista comentou que fazia serviços mais longos e que nos podia acompanhar durante os dias que quisessemos, portanto fechámos negócio. 

Pagávamos 50€ ao final de cada dia, na moeda local. Esses 50€ incluíam a gasolina, km ilimitados, estadia e refeições do taxista. 

Agradou-nos esta opção de deslocação porque além de ser rápida e cómoda, permitiu que captássemos a cultura local através das constantes conversas (em inglês) com o taxista.

Quantos dias ir

O Sri Lanka não fica propriamente perto de Portugal, exige bastantes horas de voos. Alcançá-lo é cansativo (mas muito compensador). Nunca iríamos para um destino destes apenas por uma semana. 

Na nossa opinião, uma semana nem dá para nos recompormos do cansaço dos voos, muito menos para descobrir um país e enfiarmo-nos novamente numa maratona de voos de regresso.

Posto isto, consideramos que duas semanas é o mínimo para descobrir os principais pontos do país. Mas se tiverem mais tempo, excelente!

Passámos duas semanas no Sri Lanka, uma primeira em circuito, e a segunda mais parados, em zona de praia. Andámos ao nosso ritmo, ou melhor, ao ritmo que uma viagem com crianças permitiu.  

Ficaram algumas coisas por ver, como Polonnaruwa e Anuradhapura, ou até Trincomalee, mas conseguimos ir aos pontos que tínhamos considerado como imperdíveis.

Em breve vamos publicar um artigo com os alojamentos onde ficámos e o que visitámos em cada local. 

paisagem no sri lanka

5emfuga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.