Madeira com crianças: o que visitar

Madeira com crianças: o que visitar

São inúmeros os lugares interessantes para visitar na Madeira com crianças. 

Na impossibilidade de os visitar a todos, revela-se tarefa extremamente difícil selecionar os que realmente valem a pena. 

Com a esperança de vos facilitar essa escolha, deixamos neste artigo a lista dos sítios que visitámos na nossa viagem de 7 dias com os nossos 3 miúdos (na altura com 3, 6 e 9 anos), incluindo alguns restaurantes que merecem ser recomendados. 

O roteiro pode parecer demasiado preenchido, mas podemos garantir que percorremos a ilha a um ritmo lento, sem pressas, e ainda conseguimos tirar tempo para estar com amigos madeirenses. Não se esqueçam que há sítios de visita rápida, como o caso dos miradouros, em que apreciamos a vista, tiramos umas fotos e seguimos para o spot seguinte.

Teleférico das Achadas da Cruz

crianças a correr livremente na ilha da madeira
teleférico mais inclinado da Europa

O Teleférico das Achadas da Cruz é o mais inclinado da Europa e leva-nos a visitar a Fajã com o mesmo nome. Recordamos que as fajãs são terrenos planos, junto ao mar, com condições de cultivo excelentes.

Desçam no teleférico, numa viagem que dura apenas 5 minutos, e explorem a fajã antes de regressar. O cenário é garantidamente soberbo, sempre com o mar ao vosso lado!

Quinta Pedagógica dos Prazeres

igreja junto à quinta dos prazeres
lago com patos e gansos na quinta pedagógica dos prazeres
lama na quinta pedagógica dos prazeres
tartaruga na quinta pedagógica dos prazeres

Uma quinta pedagógica é sempre aposta certa para ir com crianças. Se forem para os lados da Calheta, passem na Quinta Pedagógica dos Prazeres, junto à Igreja. 

Visitem os animais e bebam um chá na casa de chá que existe no mesmo espaço. A entrada na quinta custa 1€.

Horário da Quinta Pedagógica:

  • Primavera/Verão:  segunda a sexta 9h-20h; fim de semana e feriados 9h-21h
  • Outono/Invernosegunda a sexta 9h-19h; fim de semana e feriados 9h-20h.

Porto Moniz

piscinas naturais Porto Moniz
piscinas junto ao forte
entrada do aquário
Aquário da Madeira

As piscinas naturais são a principal atração de Porto Moniz. 

Deve ser muito agradável mergulhar no mar com aquele cenário tão bonito, pelo meio das rochas vulcânicas.

No entanto, em dezembro achámos que a temperatura da água não estaria muito convidativa, portanto ficámo-nos pelos baloiços, com vista para o mar, e pelo Aquário da Madeira. Esse aquário fica então em Porto Moniz, no antigo forte de São João Batista, e apresenta-vos a vida marinha madeirense. Não é muito grande, mas se são fãs de aquários incluam-no no vosso roteiro. 

Aberto todos os dias, das 10h às 18h.

Caniçal

lapas no caniçal
praia no caniçal
submarino no museu da baleia
criança a tentar avistar baleias com binóculos no museu da baleia
réplicas de baleias no museu da baleia

O Caniçal é zona de praias e piscinas, mas em dezembro não foi esse o motivo que nos levou até esta bonita vila de pescadores.

Fomos ao Caniçal com outros 2 propósitos: comer petiscos, mais concretamente lapas, e visitar o Museu da Baleia.

Para os petiscos desloquem-se até ao centro do Caniçal e instalem-se num dos muitos restaurantes com vista para o mar. Segundo os habitantes locais, nenhum desilude na qualidade dos petiscos. De qualquer das formas, podemos dizer que experimentámos o Restaurante Cabrestante e ficámos satisfeitos.

Voltando ao outro assunto que nos levou ao Caniçal, o Museu da Baleia aborda a caça à baleia (atualmente inexistente), o que à partida não nos pareceu muito convidativo. Contudo, arriscámos visitá-lo e achámos bastante interessante e didático, além de muito interativo. 

O que mais agradou aos miúdos neste museu foi a Sala dos Cetáceos, onde viram várias réplicas, visitaram o interior de um submarino, escolheram quais os sons emitidos pelos diferentes cetáceos que queriam ouvir, ficaram a conhecer parte do seu esqueleto, etc.

O áudio-guia fornecido à entrada também ajudou a captar a atenção deles. 

Horários e preços do Museu da Baleia:

  • Terça a domingo: 10h-18h (última entrada 16h30)
  • Adultos: 10€
  • < 6 anos: grátis
  • 6-12 anos: 5€.

Ponta de São Lourenço

ponta de são lourenço
criança na ilha da madeira
falésias no miradouro da ponta de são lourenço

A Ponta de São Lourenço é daqueles locais na ilha da Madeira onde exclamamos “Caramba, isto é português, que incrível!”.

Uma vez que fica próximo do aeroporto, podem sentar-se a contemplar aquele espetáculo natural das arribas, enquanto vêem os aviões passar, ou podem dar às pernas e fazer um percurso linear de 4km – o PR8| Vereda da Ponta de São Lourenço. 

Santana

casas com telhado de colmo, típicas da madeira

Santana é conhecida pelas típicas casas com telhado triangular coberto de colmo. Provavelmente já ouviram dizer que restam pouco mais do que 3 dessas casas, “para turista ver”, com venda de produtos locais. As casas estão realmente bonitas, e merecem a foto da praxe, mas não iríamos de propósito para as visitar. 

Passámos por lá a caminho do Parque Florestal das Queimadas.

Ainda em Santana existe o Parque Temático da Madeira, com muitas atrações/atividades adequadas para crianças. Não o visitámos mas deixamos aqui o link oficial do parque, caso queiram saber um pouco mais sobre o mesmo.

Teleférico da Rocha do Navio

teleférico a chegar à fajã

Um mural a ilustrar o fundo do mar e umas escadas pintadas de arco íris levam-nos até ao Teleférico da Rocha do Navio, no Município de Santana. 

Por sua vez, e à semelhança do Teleférico das Achadas da Cruz, este teleférico conduz-nos até uma bonita fajã.

Se não quiserem descer no teleférico, podem ir apenas apreciar as vistas do Miradouro da Rocha do Navio, que fica mesmo ao lado da entrada para o teleférico. Há wc nessa zona.

Horários e Preços do Teleférico da Rocha do Navio:

  • Segunda a Sexta: 9h às 12h50 e das 14h às 16h50
  • Fins de semana: 9h às 12h50 e das 14h às 17h50
  • Crianças até 12 anos: 1€
  • Adultos: 5€ (ida e volta).
Nota: atualmente há a informação no Google de que este teleférico está encerrado temporariamente, confirmem antes de se deslocarem para lá.

Eira do Serrado / Curral das Freiras

vista do miradouro da eira do serrado
exterior do restaurante parada dos eucaliptos, com forno de lenha
espetada típica de carne junto ao forno a lenha no restaurante parada dos eucaliptos

O Miradouro da Eira do Serrado merece uma paragem pela vista para o Curral das Freiras.

Na estrada de acesso a este miradouro parem pelo Restaurante Parada dos Eucaliptos, um dos nossos restaurantes preferidos da ilha. Modesto, com comida de qualidade a bom preço e muita simpatia no atendimento. Recomendamos o bolo do caco com manteiga e a espetada regional, com milho frito e batatas fritas caseiras a acompanhar.

É no forno a lenha, junto às mesas da esplanada, debaixo de um alpendre na berma da estrada, que se cozinham estas maravilhas. Tenham em conta que o restaurante encerra à segunda-feira e não tem multibanco!

Já o Curral das Freiras fica num vale isolado, assim batizado por ter sido ali que as freiras do Convento de Santa Clara, no Funchal, se refugiaram dos piratas que atacavam a capital em 1566. 

Se tiverem pouco tempo fiquem-se pelas vistas do miradouro. Não consideramos o Curral das Freiras um local imperdível, mas é apenas a nossa opinião!

Parque Florestal das Queimadas

Este parque florestal, situado em Santana, foi um dos locais que mais nos cativou. 

Partem daqui alguns trilhos, como Um caminho para todos, que pode ser realizado mesmo por todos, inclusive crianças. Vai do Parque Florestal das Queimadas até ao Pico das Pedras, um percurso fácil, de 2km de extensão (4km ida e volta). É ainda aqui que se inicia a famosa, e mais exigente, Levada do Caldeirão Verde.

O espaço está muito bonito, muito verde – vão ver que é sempre impressionante a beleza da Floresta Laurissilva! Há mesas de piquenique, um lago com patos e uma casa de abrigo amorosa, que mantém o original telhado de colmo, e onde podem beber um café.

Paúl da Serra

É o maior e mais extenso planalto da ilha, situado a 1500 metros de altitude. Passámos pelo Paúl da Serra quando íamos em direção ao Fanal. Cruzámo-nos com muitas vacas a pastar na berma da estrada e a caminhar no alcatrão. Valeu a pena só por isso, os miúdos adoraram!

É também nesta zona que podem iniciar algumas das principais caminhadas pela natureza. Entre elas:

Fanal

Quando pensamos no Fanal vem-nos sempre à ideia um bosque encantando. 

É um local realmente encantador, com exemplares da Floresta Laurissilva – uma floresta muito húmida, com espécies únicas, que atualmente podemos encontrar na Madeira, Açores e Canárias, Património Natural da UNESCO. 

O Fanal fica entre a Ribeira da Janela e o Paúl da Serra, e a sua imagem de marca são as árvores centenárias, as Tis. A inclinação, provocada pela ação do vento, o musgo que pinga dos troncos, e o nevoeiro que envolve constantemente as Tis, tornam o lugar místico. Para completar esse misticismo, vão surgindo vacas, inesperadamente no meio do nevoeiro, que não se intimidam com a nossa presença. 

Podem realizar alguns percursos ao longo do Fanal, como a Vereda do Fanal e a Levada dos Cedros, estas de dificuldade média. Estacionámos junto ao Posto Florestal do Fanal e explorámos um pouco a zona a pé, mas não seguimos nenhum trilho.

Se nos perguntarem que sítio achamos obrigatório numa ida à Madeira, aconselhamos o Fanal, sem sombra de dúvida.

Miradouro do Pico dos Barcelos

Situado na Freguesia de Santo António, proporcionou-nos uma das vistas mais bonitas sobre a baía do Funchal, que na altura do Natal estava maravilhosa, cheia de luz!

Além disso, tem parque infantil no local, e um bar/restaurante (Venda do Pico).

Taberna da Poncha da Serra d´Água

A poncha é uma bebida tradicional da Madeira, inicialmente utilizada pelos pescadores para se aquecerem nas noites frias que passavam afastados da costa. A poncha original, conhecida como “poncha à pescador”, é uma mistura de aguardente de cana, limão e mel. Existem atualmente outras vertentes, mais doces, que substituem o limão por outros frutos, como o maracujá, a tangerina ou a laranja. 

Uma vez que se trata de uma bebida alcoólica, incluir num roteiro com crianças uma taberna que vende poncha pode não parecer muito adequado. No entanto, confiem em nós e passem pela Taberna da Poncha da Serra d’ Água. 

Mentíamos se disséssemos que é onde encontram a melhor poncha da Madeira, mas este bar tem outras particularidades que nos fazem recomendá-lo. 

Algumas paredes estão enfeitadas com notas e cartões de visita de quem por lá passa, de todo o mundo, o que o torna num local castiço. Além disso, na Taberna da Poncha da Serra d’Água manda a tradição que os clientes se sentem nos banquinhos de madeira a saborear a poncha e a comer os amendoins (oferecidos com a poncha), mandando as cascas para o chão. Isso mesmo, leram bem, é tradição mandar as cascas dos amendoins para o chão do bar!

Ribeira Brava

A Ribeira Brava é zona de praia, mas se forem no inverno, não deixem de passar por lá. Há várias esplanadas com vista para o mar, agradáveis tanto de verão como de inverno. 

Os baloiços que ali se encontram garantem uns momentos tranquilos a apreciar a paisagem, enquanto os miúdos se divertem.

Se os vossos miúdos forem adeptos de baloiços, como os nossos, passem num outro parque infantil da Ribeira Brava, junto à bonita Igreja de São Bento. 

Uma vez nesta zona, podem conduzir uns 5km até ao Restaurante La Parreira, em Campanário.

O La Parreira é um restaurante típico madeirense, onde as espetadas são o prato de eleição. Contudo, este restaurante é fora de vulgar. 

Dum lado da estrada há um talho onde escolhem a carne que querem na vossa espetada, bem como o acompanhamento e as bebidas. Pagam, atravessam a estrada, e sentam-se no restaurante propriamente dito, onde vão comer as espetadas que vêm do talho, e irão ser grelhadas num forno a lenha à vossa vista.

A comida é boa e o conceito engraçado, recomendamos. O preço a pagar depende naturalmente da qualidade da carne que escolheram no talho. 

Encerra à terça-feira.

Cascata dos Anjos

A ilha da Madeira tem um sem fim de cascatas, todas bastante bonitas, mas a Cascata dos Anjos é fora de vulgar. Porquê? Simplesmente porque cai diretamente na Estrada Regional 101, podendo os carros passar debaixo dela. 

Tornou-se um ponto muito divulgado nas redes sociais, havendo relatos de filas demoradas para tirar fotos debaixo da cascata. No entanto, talvez por termos ido no inverno não havia ninguém no local.

Ponta do Sol

A Ponta do Sol é boa zona de praia no verão. De inverno, soube-nos bem sentir o sol, ouvir o mar e andar à procura de pedras vulcânicas.

Ribeiro Frio

No Parque Florestal de Ribeiro Frio visitem o viveiro de trutas e façam a Vereda dos Balcões.

A vereda tem um total de 3km (ida e volta), de dificuldade fácil para os miúdos. O percurso é bonito e leva-vos até ao Miradouro dos Balcões, onde podem avistar o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo, se o clima permitir.

Câmara de Lobos

Demorámo-nos pouco em Câmara de Lobos. Visitámos apenas os barcos na sua bonita baía, e a escultura do Lobo Marinho de Bordalo II. Tal como todas as esculturas da série Big Trash Animals deste artista plástico, também o Lobo Marinho é feito com lixo.

Seguimos para umas espetadas madeirenses maravilhosas no Restaurante As Vides, no Estreito da Câmara de Lobos.

Ribeira da Janela

Parámos apenas para apreciar os Ilhéus da Ribeira da Janela. Digam lá que não valeu a pena!

Miradouro do Pico do Areeiro

É o segundo pico mais alto da Madeira, com 1818 metros de altitude. O melhor conselho que vos podemos dar é que consultem as condições climatéricas antes de irem até ao Pico do Areeiro. Dada a altitude é uma zona de frequente nevoeiro, o que impede a vista. As webcams que dão imagens em tempo real (aqui) são preciosas para evitar deslocações em vão. 

Tivemos azar com a metereologia, e desta vez acabámos por não visitar este pico, mas se estiver céu limpo não percam a oportunidade.

Cabo Girão

É um dos miradouros mais populares da Madeira, não só por ser um dos cabos mais altos da Europa, com 589 metros, mas também pela sua plataforma suspensa de vidro transparente. Completamente impróprio para quem tem vertigens, algo que o nosso mais novo claramente não tem!

Funchal

carreiros junto aos cestos no Monte

Deixámos a capital propositadamente para o fim, pois temos um artigo apenas sobre o que visitar no Funchal. Podem lê-lo aqui.

5emfuga

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *